RSS
 

Se joga! Carnaval Gay em Sampa!

24 fev

 

Como cito no O Armário o carnaval nada mais é que a “festa da carne”, um momento da sociedade encher a cara, se libertar da castração e usar e abusar do PRAZER (com consciência e responsabilidade, claro!). Em São Paulo, voltado pro público gay, tem a tradicional festa da Banda do Fuxico (idealizado pelo amigo Roberto Mafra). Um trio elétrico percorre as ruas da cidade e todos dançam e se divertem com muita alegria e descontração. Se você nunca foi, vale a visita e a curiosidade. Tem policiamento e, pelo que entendi no convite acima (que acabei de receber por e-mail), teremos o lançamento da campanha “Sampa Na Luta Contra a Homofobia“. Então gatinhos e gatinhas, héteros, bissexuais, homossexuais, assexuados, etc. Todos estão convidados. Chamem seus amigos. Largo do Arouche fica próximo da estação República do Metrô. Vejo vocês por lá. :-)

 

Literatura LGBT


Bissexualidade e as variações sexuais….

16 fev

Não sei quantas vezes falei sobre isso publicamente mas aqui estou eu de novo. É uma dúvida recorrente. Sempre chegam e-mails com as mesmas dúvidas então, vamos lá: Gays podem ficar com mulheres? Claro que podem! Assim como heterossexuais podem, também, ficar com pessoas do mesmo sexo. Precisamos entender que a sexualidade humana não é uma caixa fechada e rígida. E que segundo vários estudos, incluindo a Escala Kinsey (figura acima), produzida por Alfred Kinsey (quem puder assista o filme sobre sua vida chamado Falando sobre Sexo) fala justamente disso. Segundo ela, apenas alguns indivíduos são EXCLUSIVAMENTE heterossexuais ou homossexuais (e permanecem assim por toda uma vida). E que entre uma polaridade e outra existem as variações. Tem homossexuais que já transaram em algum momento de sua vida com pessoas do sexo oposto. Assim como heterossexuais que transaram em algum momento de sua vida com o mesmo sexo. Tem outros que o fazem com mais frequência. A teoria é longa e interessantíssima. Ainda mais se contarmos com a identidade sexual, que é como você se apresenta publicamente (e que não necessariamente diz – realmente – quais são suas preferências sexuais). Por isso tem muito bissexual, por exemplo, com identidade sexual de heterossexual, mas que transa com os dois sexos. Assim como eu conheço gays que tem identidade sexual de gay mas também transa com os dois sexos.

Pode ser muita informação para algumas pessoas em tão poucas linhas. Mas, só para terem ideia de que tudo na sexualidade humana é possível. E não é porque você é gay que você não poderá transar com sua amiga mulher. E não é porque você é heterossexual que você não poderá transar com seu amigo ou amiga do mesmo sexo. Se acontecer, porque não? Sexo é bom e como já vem dizendo Wilhelm Reich desde a década de 50 (quem puder leia seu livro A função do Orgasmo) sexo é saudável. Segundo ele, um bom orgasmo, intenso e significativo, promove um relaxamento corporal de vários dias, promovendo a saúde psíquica e mental dos envolvidos. Sejam eles homens ou mulheres. Seja com heteros, homossexuais ou bissexuais.

Então parem de ser “tão encanados” e comecem a curtir mais a vida. Sem medo, sem culpas mas com responsabilidade (camisinha sempre). O resto… é resto… ;-)

 

Literatura LGBT


Philipe de Araujo e a Saida do Armário – Livro

15 dez

O Philipe de Araújo tem um VLog (Blog em Vídeo) no Youtube e publicou nesta semana um post especial sobre meu livro O Armário. Ficou muito bacana embora ele não tenha se aprofundado muito (e nem tem como se aprofundar em um post, justamente por isso ele é um livro! risos). Super recomendadíssimo. Edição perfeita. Para assistir, visite o link http://www.youtube.com/watch?v=tioFJ7OrCfk ou dê um play abaixo! :-)

Espero que gostem! Philipe, super obrigado! Ficou ótimo! Valew mesmo! E já recebi visitantes e novos leitores graças ao seu vídeo. Muito bom! :-)

 

Literatura LGBT


Saindo do Armário

15 dez

Leia a entrevista exclusiva que dei para o Blog Queer As Folk – Brasil sobre meu livro e a  “Saída do Armário“. Para ler clique aqui ou, caso o link esteja fora do ar (pelo que percebi o link não é permanente), tem um espelho aqui:

http://fabricioviana.com/saindodoarmario

:-)

 

Literatura LGBT


Arnaldo Jabor ataca Skinheads – Inveja dos Homossexuais

10 dez

“Amigos ouvintes, hoje eu falo para os canalhas, esses canalhas skinheads que estão atacando os homossexuais indefesos na Avenida Paulista, nas madrugadas violentas de são Paulo.Ouçam: vocês são uns covardes, vagabundos, vocês uns boçais que atacam nos homossexuais a miséria sexual que vocês têm dentro. Solitários, desamados por homens e mulheres, vocês tem ódio da liberdade dos gays, da coragem que tiveram de assumir sua identidade sexual. Vocês tem inveja deles porque não tem identidade alguma. Eles são muito mais corajosos que vocês que vivem trancados no medo e no ódio. Vocês invejam nos gays a sensibilidade que desenvolveram como minorias, sensibilidade que vocês nem atingem.Se vocês morassem no Irã seriam pelo apedrejamento da Sakineh. vão para lá! Vão para o Irã! O colega de vocês, aquela boneca reprimida, Armadinejad, disse que lá não há homossexuais.Ou então porque que vocês não vão atacar lá no Rio de Janeiro, na praia gay em Ipanema?Há um tempo atrás, um bando de pit boys resolveu bater naquelas bonecas malhadas fortíssimas de bigode. Eles souberam, ergueram a bandeira colorida e esperaram. Pra que? Deram tanta porrada nos playboys que eles acabaram chorando sentados no meio fio, eh… Viraram pit lulus.É isso tenho saudades de Madame Satã, aquela grande bonecona guerreira, que chamava para o pau uma patrulha inteira da polícia especial e depois ia cantar num cabaré da lapa: Cadê Mimi cadê Mimi! Eh, é isso ai.” (Arnaldo Jabor)

 

Literatura LGBT


Leia A Cama na Varanda

08 dez

Não sei, nunca postei os livros que estou lendo ou que gostaria de ler. Uma vez, quando jovem, pensei em listar nomes em um caderno para que, depois de anos, desse uma olhada em quantos livros eu já tinha lido. Pura bobagem. O que importa é o que você aprende com eles, não a quantidade que você leu. Posso ler muitos e não aprender nada. Mas enfim, fato é que, alguns são realmente fundamentais. Esse ai, chamado “A Cama na Varanda“, da Regina Navarro, faz parte daqueles que eu RECOMENDO e muito para todas as pessoas interessadas em Sexo e Relacionamentos (meu caso). Tanto que, entre vários títulos que irá para a “bibliografia” do meu próximo livro, este é um deles. Ja li e estou relendo. Assim como “O Mito da Monogamia” de David Barash e Judith Eve Lipton, “Amor e Sexo” e também o “Uma história de Amor com Final Feliz” ambos de Flávio Gikovate. Entre outros.

 

Literatura LGBT


Claudia Wonder in memorian…

27 nov

Com muita tristeza eu, e todos que a conheciam, recebeu a noticia triste de seu falecimento. Claudia Wonder, ícone da militância lgbt e do meio artístico, faleceu ontem com 55 anos de idade. Seus trabalhos e sua história é algo que realmente deixará saudade. Eu, francamente, nunca havia ido a um velório e, conforme me aproximava dela, sentia algo estranho. Como pode alguém tão cheio de vida, tão iluminada, ali, na sua frente, fria, imóvel… sem vida. Muito triste. Muito triste mesmo. Espero que sua memória fique viva para sempre em nossos corações. Coloquei alguns de nossos momentos (não tive tempo para procurar mais fotos) abaixo em forma de homenagem por seu rico trabalho… 

Direitos de Resposta: Chamei a Claudia Wonder e a Maitê Schneider para gravar um programa na RedeTV… as duas falaram muito bem…

Participação da Claudia Wonder no documentário premiado que produzi sobre os 10 anos da Parada Gay em São Paulo… para baixar o DVD completo gratuitamente, entre aqui: fabricioviana.com/nossoorgulho


Frase da Claudia Wonder no meu livro www.OARMARIO.com (desde a 2ª edição)… foi uma das frases escolhidas do meu site (tem outras aqui oarmario.com/fabricioviana.php

Wonder, descanse em paz…

:-(

 

Literatura LGBT


Homofobia na Avenida Paulista em São Paulo

16 nov

Jonathan lauton Domingues, 19 anos e mais quatro menores entre 16 e 17 anos foram presos na Av. Paulista em São Paulo após atacarem e roubarem gays nas proximidades. Depois de presos todos foram soltos e respondem em liberdade. Segundo um dos advogados de defesa, um dos agressores foi simplesmente “paquerado” e isso resultou em toda a briga (desde quando uma paquera resulta em agressão e roubo?). Segundo a mãe de outro agressor, seu filho não faria isso pois ela mesma tem vários amigos homossexuais. Depoimento de uma mãe desesperada e que provavelmente não conhece tão bem seu filho. Afinal, como uma das testemunhas deixou bem claro, o rapaz gay estava andando na rua sem fazer nada para ninguém e foi abordado e agredido de surpresa, gratuitamente. Se isso não for homofobia, tentando destruir no outro aquilo que mais incomoda dentro de si, eu realmente não sei o que é psicologia e faço questão de rasgar meu diploma.

O que chama a atenção nisso é a intolerância, a impunidade e, principalmente, em saber que casos como este em São Paulo e em outros lugares acontecem com muito mais frequência do que imaginamos. Como eu vivo repetindo para jornalistas que me procuram, as pessoas acreditam que o mundo melhorou, que os gays estão mais livres para andarem nas ruas expressando sua sexualidade e por ai vai indo mas, no fundo, tudo continua a mesma coisa. Falamos mais sobre a homossexualidade, aparecemos mais, mas a mente das pessoas ainda são antigas e povoadas de machismo e preconceito (exemplo recente é o do reitor do Mackenzie publicar nota no site da instituição de ensino enfatizando ser contra a aprovação de lei que criminaliza a homofobia, até a OAB disse que a atitude é digna da Idade Média).

Enfim, vamos todos acompanhar este caso de perto e torcer para que a justiça seja feita.

 

Literatura LGBT


Nostro Mondo reformada!

03 nov

Todos os baladeiros que frequentam a noite gay com certeza já ouviram falar na boate Nostro Mondo. Considerada um verdadeiro ícone da noite paulistana, ela é rica em histórias e protagonizou alguns dos maiores eventos gays do país. Há 39 anos, o ‘Castelinho da Consolação’, como também é chamado, atrai um público diversificado para dançar em sua pista.

Antes de iniciar sua trajetória na noite, o local era um clube hétero, sem pretensão de ser um marco notívago. No entanto, quando a Condessa Monica (Clóvis) comprou o local na década de 1970, ela o transformou em um point glamoroso e elegante. Com ares teatrais e shows bem produzidos, o palco da boate foi o berço de verdadeiros ícones do transformismo.

A ex-Big Brother Dimmy Kieer deu seus primeiros passos com salto alto naquele lugar. Miss Biá, uma artista nata, trabalhou durante doze anos na casa, conquistando seu estrelato com shows memoráveis. “Era uma superprodução, cheguei a entrevistar Miguel Falabella, Wanderléia, Lucinha Lins, Paulo Autran, Claudia Raia, Raul Cortez e até mesmo Bibi Ferreira”, conta a drag. “Era um lugar para ver e ser visto, fino, elegante e receptivo”, reafirma Biá, ao falar com saudosismo sobre o tempo em que trabalhou na Nostro Mondo.

E é pensando no saudosismo de Miss Biá que DJ Gê Rodrigues e Igor Calmona, donos do DJ Club, Mini Club, lojas DJ Club de som e iluminação entre outros empreendimentos, estão no comando da Nostro Mondo e pretendem modernizar, mas também reavivar, a tradição de bons espetáculos e shows bem produzidos.

As mudanças estruturais são perceptíveis logo na entrada do clube: a fachada foi restaurada e a entrada voltou a ter os traços elegantes de outrora. Mas as modificações não param por aí. O sistema de iluminação foi alterado, assim como o palco e o equipamento de som, considerado um dos mais modernos entre as casas noturnas de São Paulo. Agora, além da pista principal com o palco, há também uma segunda opção para dançar: uma nova pista no térreo, intimista, em que os DJs tocarão flashbacks, house e muito mais.

Os clássicos shows aos sábados e domingos serão mantidos, aos sábados Frank Ross e aos domingos com Silvetty Montilla. Gê Rodrigues e Igor Calmona convidaram importantes personagens da noite para compor o line-up da nova era da casa. Entre eles, estão Renato Lopes, Oscar Bueno, Jean Tavares, Luca Lauri, Andrea Gram, Xavier, Ulisses Cavassana, Jac Junior, Marcelo Saturnino, Cris Vilela, Zuba entre outros. A Nostro também terá para essa nova programação de inicio três afters, ‘o After da Nostro’ e o estreante ‘After XAROPE’, do renomado DJ Luiz Pareto e SUB After.

E durante a semana, a Nostro abrirá Espaço Cultural Nostro Mondo para exibições de peças teatrais (coordenado por Duilio Ferronato) e projeções cinematográficas (com programação de cinema, que será coordenada pelo crítico Christian Petermann), projeto de moda (coordenado por Marcelo Hirata) e bandas novas. Ou seja, o Castelinho da Condessa retornou mais imponente e completo do que nunca.

Dia 04 de novembro a partir das 23 horas, na festa de OPENING, estarão nas pick-ups os DJs convidados Ulisses Cavassana, Sérjô , Jac Junior , Oscar Bueno e Haroldo Pereira Jr e no palco Silvetty Montilla.

Comemorando Birthday Scorpions: Daniel Almeida, Ulisses Cavassana e Oscar Bueno.

Serviços:

Onde: Boate Nostro Mondo
O que: Festa Opening – dia 04 de novembro a partir das 23 horas.
Funcionamento: de quinta a domingo
Horários: de quinta a sábado das 23 horas até ultimo cliente.
Matine aos domingos: das 18 a  0hora
Quintas e sextas – Preços: R$ 15 de entrada ou R$30 de consumo com flyer –
R$20 entrada ou R$30 consumo sem o flyer
Sábado e Domingos – Preços: R$ 15 entrada ou R$30 de consumo
Afters – Preços: R$ 15 de entrada ou R$30 de consumo com flyer –
R$20 entrada ou R$30 consumo sem o flyer
Local : Rua da Consolação, 2.554
Jardim Paulista – São Paulo – SP
Infone: (11) 3338-0179
www.nostromondo.com.br

 

Literatura LGBT


14/10 – Kadu Lago lança Confissões Ao Mar

14 out

Nesta quinta-feira, 14/10, tem o lançamento da nova edição do livro Confissões ao Mar do amigo Kadu Lago! Para participar mande um e-mail (agora mesmo!) para kadulago@gmail.com para poder entrar na lista vip. Não será cobrado nada na entrada e o livro custa apenas R$ 34,70. Para conhecer mais sobre o brilhante trabalho do autor, visite:

Blog do Kadu Lago
Twitter do Kadu Lago
PDF Confissões ao Mar – Release


Serviço:

Livro Confissões ao Mar de Kadu Lago
14/10 – Das 19 às 23horas
Cine Belas ARtes
Avenida Consolação n.º 2423

 

Literatura LGBT